Brasil, Rio de Janeiro – 1999 – Os extraterrestres estão entre nós?

9 02 2010
Vou apresentar a vocês, agora, uma questão inquietante: a presença de extraterrestres entre nós.

Adquiri esta informação, ao longo de vários anos de estudos e pesquisas, e não estou falando de homenzinhos verdes, com anteninhas na cabeça.  Estou falando de ajudantes dos Mestres Ascencionados, pertencentes às falanges da Grande Fraternidade Branca Universal, que aqui se encontram, desde o início dos tempos, e que atualmente se mostram a nós, para nos ajudar nesse período de transição.

ajudantes dos Mestres Ascencionados

Segundo essas informações, há seres de variadas origens cósmicas encarnados atualmente na Terra.

Uns, vieram voluntariamente para ajudar os terrestres nesta época de transição; outros, caíram na Terra devido a acidentes com suas naves espaciais.

A maior parte destes seres não se lembram de quem são nem do que vieram fazer aqui.  Eles seguem o curso natural da vida, pensando que são seres humanos comuns.  

Não bebem bebidas alcoólicas, não fumam, têm uma forte tendência a só falar a verdade, não agridem as pessoas gratuitamente, não se limitam a nenhuma religião ou corrente de pensamento, não se sentem bem em meio a multidões.  Desde crianças questionam os dogmas religiosos; têm grande facilidade em aprender qualquer matéria; têm fascínio pelo espaço sideral; têm um senso natural de justiça; sentem-se bem quando estão sozinhos; crianças e animais costumam sentir-se atraídos por eles; têm uma aura maior do que a aura média humana; tiveram contatos visuais com seres espirituais na infância; têm muita sensibilidade.

Eles estão à nossa volta e em breve se farão visíveis no físico.  Ainda não chegou a hora de sua aparição em massa, mas isto irá acontecer, eles estarão aqui na época da transição.

Receberemos ajuda de nossos irmãos mais velhos, ou seja, dos seres pertencentes a civilizações mais avançadas que nos observam e que no passado já interferiram em nossas vidas, e que, em breve, irão interferir novamente.

Legiões de seres sob o comando de Ashtar Sheran, um ser de alta evolução, estão atuando na transição do nosso mundo, na transição do universo e na reconstrução da nova Terra.

Ashtar Sheran

Ao longo dos séculos a história vem registrando aparições de objetos luminosos, metálicos e, também, documentando seres vestidos em trajes espaciais, similares aos dos astronautas.  Alguns acreditam serem viajantes do tempo, outros, talvez, alucinações.

Nos milhares e milhares de mundos habitados, dispersos pelo Cosmos, encontramos vida inteligente em todos os estágios da evolucão, desde o início, incorporada na expressão mais bruta da matéria, ao grau mais elevado, representado por seres corporificados em matéria tão sutil que provavelmente não seriam percebidos por nossos precários sentidos.

A denominação de seus planetas e a localização dos mesmos não fariam qualquer sentido para nós, principalmente porque podem mudar de dimensão, se precisarem, durante o trajeto.

A entrada aleatória de naves e seres de outros mundos no planeta Terra está fechada.  Os portais exteriores que dão acesso ao nosso mundo, foram fechados pela Grande Fraternidade Branca Universal, que cuida dos interesses do nosso planeta.  Apenas um deles permite trânsito e fica localizado sobre a Ilha de Páscoa, ao Sul do Oceano Pacífico.

Atualmente, milhares de seres extraterrestres visitam esta nossa esfera azul.  No entanto, os casos registrados pelas pessoas, pela ciência e pelos governos geralmente se referem a extraterrestres de nível não muito evoluído, vindos de planetas cuja evolução tecnológica está um pouco acima da nossa, mas, em nível ético, é inferior ou equivalente, podendo ser descritos como seres rebeldes que ainda não desenvolveram um sentimento maior.

A maioria dos extraterrestres que visitam o planeta Terra são de origem positiva. Seus mundos, aqueles que patrocinam suas viagens, são lugares onde a harmonia e o amor entre todos os habitantes é a tônica geral. São seres que vivem num sistema de governo que não faz imposições, que não dita normas. A norma existe dentro de cada um de maneira espontânea, de maneira que cada ser possui a consciência da harmonia e do amor.

Nesses mundos, ninguém vê o outro como um estranho, mas como parte de si mesmo, uma parte que precisa ser cuidada, preservada, respeitada. Esses seres são dotados de grande amor, um amor que os faz ficar em permanente contato com suas essências, com seus espíritos elevados, com o Criador Absoluto, aquele que aqui na Terra chamamos de Deus.

Dentre um número infinito de seres vindos de outros planetas, são eles integrantes de um comando do amor, da justiça e do poder.  Milhões de seres espaciais, vindos das mais diversas galáxias, de planetas de nível de evolução superior ao nosso, são voluntários, auto-convocados, que aqui vieram empunhando a bandeira do amor e da fraternidade, em ajuda aos planetas que dela necessitam.

Já em épocas passadas, o Comando Ashtar se fez presente em nosso planeta, quando a terra passou por diferentes estágios de evolução.  Mas há muito o planeta não vive uma fase semelhante a que se aproxima. É a fase da transição dos universos, quando muito virá a acontecer.

Foi por isto que Ashtar enviou vários dos seus ‘filhos’ para se integrarem, através do nascimento, em corpos de carne e viverem por algum tempo junto aos seres que, há várias existências, estão nascendo na Terra.  Sua missão principal é fazer despertar aqueles que já esqueceram suas origens, que já esqueceram a razão pela qual nasceram neste mundo e, por isso, precisam ser conscientizados para perceberem o quanto é necessário acelerarem o seu ritmo evolutivo.

Os extraterrestres procuram de muitas formas ajudar a evolução dos habitantes da Terra, muitas vezes tendo que interferir energicamente nos governos, como por exemplo limitar o uso do armamento nuclear para que nós não nos destruamos a todos.

Infelizmente, as pessoas, em sua grande maioria, estão cegas quanto à natureza superior da vida. Estão surdas da consciência plena de um contato com a essência. Estão com o corpo imobilizado, o que as impede de expressar os sentimentos mais sublimes que o plano superior e que o criador absoluto transmitem.

Por essas razões é que estamos sendo tão visitados pelos nossos irmãos mais velhos, de maior maturidade, que vêm de outros mundos.   Se não aparecem diante de nós com seus corpos extraterrestres para falarem diretamente, é porque sabem que não estamos ainda prontos para o encontro com civilizações mais avançadas.

Ao longo da história planetária, vários comandos extraterrestres nos enviaram muitos dos seus mensageiros: Missionários da Luz e Iluminados de Era, que tentavam, como um sol retido em um corpo de carne, irradiar para os homens a luz do amor, da justiça e da sabedoria.  Desse modo, a humanidade pôde conviver durante algum tempo com iluminados como Buda, Jesus e os grandes mestres que compõem a Fraternidade Branca do Conselho Planetário e Solar.

Nossos irmãos de outros planetas terão uma importante atuação no que vai acontecer.

Veja bem, estamos num planeta que vibra na 3ª dimensão da densidade atômica física.

Independentemente de entendermos de física quântica, nossos corpos e as coisas materiais que nos cercam são compostos de partículas tão condensadas que vêm nos mantendo na 3a. dimensão física ou dimensão densidade.

Já há algumas décadas algumas mudanças vêm gradualmente ocorrendo.  Um fenômeno cósmico de abrangência universal está acontecendo.  O universo inteiro está passando por uma transição.

Os corpos estão começando a vibrar mais rápido e um portal natural está sendo criado para fazer os mundos saltarem de uma dimensão para outra.  Nós estamos em um mundo que está começando a se transferir para outra dimensão. 

Os contatos de certas pessoas com os extraterrestres especificamente nessa fase visam criar em nós o clima da transição, porque não estamos preparados para ela, nem mental nem tecnologicamente.  Nossa cultura ainda não admite aquilo que transcende, porque a tecnologia humana está arcaica em relação à tecnologia dos extraterrestres, não tendo como oferecer, com o conhecimento de que dispõe, a base necessária para se conseguir uma transição sem traumas.

Na 4ª dimensão é possível vermos a energia que existe nos corpos, uma suave película envolvente, porque a matéria começa a se libertar.

Hoje, nossos corpos e os objetos são como que imprensados, ou seja, suas partículas são muito condensadas.

Nosso mundo está passando para outra dimensão, mas não é só isto.  Os objetos, constelações, galáxias, tudo que há nesse universo está gradualmente passando para outra dimensão, um universo empurrando outro universo, provocando uma reação em cadeia.

O que está acontecendo não é uma coisa isolada.  Tudo na vida está sendo alterado porque o planeta está se aproximando do portal.  Alguns planetas do nosso universo vão levar ainda bilhões de anos para chegar até esse portal, mas nós temos a sorte de já estarmos à beira dele, faltando pouco para transpô-lo totalmente.

As profecias contidas na Bíblia e em vários livros históricos registram os acontecimentos que virão em breve.  Fazendo certa alusão ao Apocalipse, digamos que ele conta apenas parte da história.

O nosso mundo está à beira de uma porta e pronto para transpô-la. 

A irradiação dessa porta já está nos atingindo, fazendo-nos mudar a percepção de tempo com a sensação de que tudo anda mais rápido. Apesar de o relógio marcar 24 horas, parece que não temos mais 24 horas, o tempo está sendo reduzido cada vez mais e podemos notar isto pelo ritmo do avanço tecnológico.

Planetas hostis, ainda dominados pelo chamado mal, pelo destrutivismo (como o nosso), precisam de cuidados especiais, como uma criança inconseqüente que na beira de um abismo precisa do auxílio de uma inteligência maior.

O Comando Ashtar tem várias funções e uma delas é recolher pessoas no corpo físico e levá-las para o interior de naves apropriadas, onde permanecerão durante a transição.

Cabem aqui as seguintes considerações: não serão recolhidos todos os habitantes. 

Há pessoas positivas (que trabalharam o seu lado interno), que não serão recolhidas.  Será recolhida apenas uma pequena percentagem dos habitantes.  O programa ou missão de vida, que a pessoa fez antes de nascer aqui, é o fator que determinará se ela será recolhida fisicamente ou não.

Ser recolhido no físico pelas naves não é o principal, pois existe gente muito boa que fez pela humanidade tudo que podia de positivo e que, quando acontecer essa transição, irá para planeta muito melhor que a Terra de 4a. dimensão, mas para isso terá que perder o corpo físico.  

Os futuros habitantes da Terra de 4a. dimensão precisam ser recolhidos às naves porque nós não conseguimos, com nossa tecnologia, gerar proteção para a oscilação eletromagnética e vibracional causada pelo cataclismo e pela transição de um universo para outro.

Muitas das naves espaciais que cruzam o universo são o habitat dos seus tripulantes, que normalmente pertencem à 4a. até 13a. dimensão. Acima da 3a.dimensão a matéria é mais livre, os seres, isentos de certas limitações e inibições, podem manifestar um poder mais amplo junto à Criação.  Assim lhes é possível densificar seus corpos de manifestação para poderem atuar em dimensões inferiores.

Como vamos fazer exatamente o inverso, a sutilização de nosso corpo é o caminho.

Todo ser vivo na face da Terra passará pela transição, seja humano ou animal.  

O início da transição será pouco antes do crepúsculo, no Brasil.   O fenômeno acontecerá no planeta inteiro ao mesmo tempo, sendo que em alguns países será noite, em outros madrugada, em muitos já será dia ou estará amanhecendo.

Quase ninguém vai estar esperando quando a transição tiver seu início.  O processo não será nada indolor e o trauma não seria menor se a pessoa soubesse o momento exato.

É preciso, antes de tudo, que as pessoas se preparem a nível interno, e isto é realmente o que importa, porque qualquer que seja a roupa que se vista ou o local em que se esteja, lá chegará a irradiação do portal.  A maioria das pessoas não está nem física nem mentalmente preparada para essa irradiação vibracional, mas nem por isto devemos entrar em pânico, porque nós não estamos sozinhos e estaremos sendo ajudados quando for necessário.

Nós estamos sendo vigiados permanentemente.  Cada pessoa é monitorada pelos extraterrestres, que têm a ficha de todos os que nascem, de todos os que morrem e de todos os que vivem no mundo espiritual.  Eles sabem quem é quem, quanto a gente merece, qual é o nosso programa de vida, se teremos que perecer aqui na transição ou se deveremos ir para outro mundo.  

Aqueles já recolhidos ao interior das naves é que povoarão o novo planeta Terra.

Para algumas pessoas que estão pela primeira vez tendo acesso a estas informações, elas podem parecer absurdas, mas daqui a pouco tempo tudo isto fará sentido.

Com a aproximação do portal e do planeta intruso, o inconsciente coletivo vai começar a sentir o início das mudanças.

Anúncios




COSMOGÊNESE / ANTROPOGÊNESE

27 01 2010

No princípio, criou Deus os céus e a terra.  A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas (…)  Disse Deus: Haja luz; e houve luz.  (…) fez a separação entre a luz e as trevas. 

Chamou Deus à luz Dia e às trevas Noite. (…)  E disse: Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas (…)  E chamou Deus ao firmamento Céus. (…)  Ajuntem-se  as  águas  embaixo  dos  céus  num  só  lugar,  e  apareça  a porção  seca.

 À porção seca chamou Deus Terra e ao ajuntamento das águas, Mares.   Produza  a  terra,  relva,  ervas  que  dêem  sementes  e  árvores  que  dêem  frutos (…)  Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos.

(…) e fez também as estrelas.  (…)  Povoem-se as águas de seres viventes: e voem as aves sobre a terra (…)  Criou, pois, Deus, os grandes animais marinhos e todos os seres viventes que rastejam, e todas as aves (…)

Produza a terra, seres viventes, animais domésticos e selváticos (…)  Façamos o homem á nossa imagem, conforme a nossa semelhança (…)  Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (…)

E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, descansou nesse dia de toda a sua obra que (…) como Criador, fizera.

Gênesis 1; 2.1-3

Para discorrer sobre esse 2o Resgate, tenho que me reportar ao início dos tempos no nosso planeta Terra: terceiro planeta a partir do Sol, sistema solar de Hélios e Vesta, uma estrela anã amarela, de quinta grandeza, situada a 32.000 anos-luz, Braço de Orion, 13a Região Administrativa da Via Láctea. 

Todo planeta, como nós, é um ser em evolução: nasce, tem uma finalidade de existir, e tem obrigação de evoluir.  E nosso planeta nasceu, num sopro de amor de criação Divina, resultante da repetição incessante do som da Vida:

 AUUUUUMMMMM!

O som da vida, o verbo resultante do movimento dos átomos. 

A é o mundo divino; U é o mundo da alma; e M é o mundo físico manifestado.





A progressão dos mundos

26 01 2010

 “O progresso é lei da natureza.

A essa lei todos os seres da criação, animados e inanimados, foram submetidos pela bondade de deus, que quer que tudo se engrandeça e prospere. 

A própria destruição, que aos homens parece o termo final de todas as coisas, é apenas um meio de se chegar, pela transformação, a um estado mais perfeito, visto que tudo morre para renascer e nada sofre o aniquilamento.(…)

Segundo aquela lei, este mundo esteve material e moralmente num estado inferior ao que hoje se acha e se alçará sob esse duplo aspecto a um grau mais elevado. 

Ele há chegado a um dos seus períodos de transformação, em que, de orbe expiatório, mudar-se-á em planeta de regeneração, onde os homens serão ditosos, porque nele imperará a lei de Deus.

Santo Agostinho (Paris, 1862)

Segundo lendas ancestrais, que a cada momento se tornam mais passíveis de comprovação, a origem das raças na Terra, ocorreu na Lemúria, situada à altura do atual Oceano Pacífico, há 50.000 anos atrás.

Durante bilhões de anos, o complexo pastoso e efervescente que formou a capa externa da Terra, começou a solidificar-se. 

O primeiro elemento sólido e rochoso emergiu da periferia terrestre, até então formada de lavas quentíssimas e gelatinosas, vindo a constituir o continente primordial do nosso planeta, a Lemúria, a Terra de Mú.

Até essa época cósmica, só havia na Terra, a vida mineral, a única capaz de resistir às duras condições climáticas de nosso globo, ainda em formação geológica. 

Laboratório de matéria ignescentes, as descargas elétricas, em proporções jamais vistas da Humanidade, despertam estranhas comoções no grande organismo planetário, cuja formação se processa nas oficinas do Infinito. 

Ao passar do tempo, há condensação dos vapores, a formação da crosta, oceanos e cortina de ozônio.

A água tépida com a luz solar filtrada foi o berço da primeira vida organizada, o protoplasma e, com ele, o germe dos primeiros homens.

Após as últimas convulsões interiores, estabelecem os contornos geográficos do globo, surgindo, desse modo, as grandes extensões de terra firme, aptos a receber as sementes da vida. 

A Lemúria, segundo relatos ainda não completamente confirmados, foi palco de profundas transformações dessa vida mineral, presenciando ainda as mutações geológicas da crosta terrestre. 

Aos poucos, o magma foi se diferenciando em águas e rochas, enquanto a vida mineral evoluía para a vida vegetal, incubada nas quentes areias e rochas. Quando a separação definitiva das águas e terras se completou, a vida vegetal iniciou sua transformação em vida animal, nos mornos oceanos então surgidos.

Os primeiros crustáceos são seguidos pelos batráquios.  Nessa fase evolutiva do planeta, todo o globo se veste de vegetação luxuriante e prodigiosa, dando condições favoráveis aos animais de porte grande das eras primitivas.  O reino animal experimenta as mais estranhas transições no período terciário, sob as influências do meio, em face dos imperativos da lei de seleção natural.  Os primeiros antepassados do homem são algumas raças de antropóides. Estas e os ascendentes dos símios que ainda existem no mundo, tiveram a sua evolução em pontos convergentes, e daí os parentescos entre o organismo do homem moderno e o do chimpanzé da atualidade.

Os antropóides das cavernas espalharam-se, então, aos grupos, pela superfície do globo, no curso vagaroso dos séculos, sofrendo as influências do meio e formando as raças futuras em seus tipos diversificados. 

O homem primitivo assemelhava-se a um animal, porém já demonstrava uma certa aptidão para colocar-se de pé, na postura vertical.

Essa atitude capacitou-o a absorver pelo chakra da coroa (alto da cabeça), determinadas vibrações siderais, que terminaram por transformá-lo, após períodos cósmicos sem conta, no “homo-sapiens” dos nossos dias.

Os séculos correram e até que um dia as hostes do invisível operaram uma definitiva transição no corpo perispiritual pré-existente, dos homens primitivos. 

Surgem os primeiros selvagens de compleição melhorada, tendendo à elegância dos tempos do porvir, mas neles ainda não se haviam manifestado a emoção, nem a inteligência.

Surgiu nas terras lemurianas, o oHOMEM; sendo, portanto, Mú, o verdadeiro ventre cósmico onde se realizou a gestação desse pequeno deus, que é o ser humano. 

Hoje, não mais se ignora que os seres humanos, com sua forma crucífera que reflete a evolução através do sofrimento, resultam de estudos, observações e experimentos de longa duração, realizados por entidades espirituais, colaboradoras diretas na formação e no funcionamento regular e metódico da criação Divina.